ESPERANTO

Conheça, Aprenda, Divulgue

Página com informações, cursos  e materiais em português. Acesse: www.esperanto.com.br

BEL@Butiko

Loja da Liga Brasileira de Esperanto. Compre através de cartão de crédito ou boleto bancário e receba em casa. CLIQUE AQUI

BEJO

Brazila Esperantista Junulara Organizo é o departamento da Liga Brasileira de Esperanto destinado para jovens com direção autônoma em relação à Liga. Conheça: bejo.esperanto.org.br

Liga Brasileira de Esperanto

O ESPERANTO é fácil?

  • PDF

SOBRE A FACILIDADE DO ESPERANTO

salutonÉ verdade, a média de tempo para um brasileiro aprender esperanto é 4 MESES. Se o aluno reservar o mesmo período de tempo que reservaria para estudar inglês (tipo, uma hora, duas vezes por semana), leva menos tempo. Tem gente que aprende em uma semana, fazendo um esforço um pouco maior. Agora, vai tentar aprender inglês em uma semana.

Como 60% do vocabulário do Esperanto é inspirado nas línguas latinas (português, espanhol, francês, italiano, etc), é muito rápido e fácil decorá-lo. Se, além disso, a pessoa fala inglês e arranha espanhol, ou talvez um francês, aprende mais depressa ainda.

O Esperanto foi criado para ser poeticamente bonito e completo, mas, ao mesmo tempo, fácil de aprender. Eu tive uma aluna americana pela Internet que me surpreendeu aprendendo em duas semanas. E era americana! Eu realmente fiquei surpresa. Em duas semanas ela já tinha até blog em Esperanto, relatando os progressos que ela e seu filho de 8 anos faziam na língua! Muito legal.

Além do vocabulário, a gramática do Esperanto é também genial. São apenas 16 regras básicas, sem as temidas exceções gramaticais das outras línguas. A pronúncia é regular: no Esperanto, cada letra tem um único som; cada som tem apenas uma letra para representá-lo. Em comparação, vemos o inglês, que tem 12 sons diferentes para a letra A.

O que acontece por causa desses 12 sons diferentes? O aluno que aprende inglês precisa OUVIR cada palavra do vocabulário inglês pelo menos uma vez antes de poder lê-la corretamente. A não ser que chute certo a pronúncia. Quantas pessoas falam “Bush” errado? E continuam falando?

Em Esperanto, depois da primeira aula (quando aprende-se o som de cada letra), o aluno já pode ler corretamente qualquer palavra que aparecer na sua frente e escrever corretamente qualquer palavra pronunciada por outra pessoa em Esperanto. :-)

Como o Esperanto possui um sistema muito prático de sufixos e prefixos que você pode montar para formar palavras, a cada nova palavra que o aluno aprende, ele ganha mais umas 40 outras palavras em seu vocabulário, sem nunca tê-las aprendido especificamente, apenas adicionando sufixos e/ou prefixos que já conhecem.

Por isso o Esperanto é tão fácil.

Atenção: ser fácil não quer dizer ser bobo ou simplista. Muita gente acha que, por ser fácil, o Esperanto deve ser uma língua pobre em expressões. Muito pelo contrário. A pessoa pode brincar com as palavras de um modo que em nenhuma outra língua é possível. E, por isso mesmo, ele é a melhor língua para tradução. Por ser tão flexível, ele consegue expressar com mais exatidão as nuances das outras línguas.

E como anda o avanço do Esperanto como língua neutra internacional?

O Esperanto hoje tem mais de dois milhões de falantes espalhados por mais de 180 países, um avanço muito rápido para uma grande ideia que tem pouco mais de 100 anos. É uma das línguas mais usadas na Internet, superando o árabe em número de artigos na Wikipedia: mais de 140 mil. Tanto a comunidade virtual como a real é extremamente ativa, com trocas culturais ocorrendo todos os dias, em todas as partes do mundo. Dezenas de milhares de livros já foram traduzidos ou escritos em Esperanto e, anualmente, circulam centenas de revistas e jornais na língua neutra internacional pelo mundo. A música não fica de lado, com centenas de bandas multiculturais fazendo sucesso mundo afora.

A UNESCO, em duas resoluções, já recomendou o ensino do Esperanto nas escolas de seus países membros. O governo chinês apoia o Esperanto, tem telejornal e rádio na língua e até uma Pós-Graduação de Esperanto. Para eles, o inglês é uma língua complicada demais e quase impossível de pronunciar. Melhor apoiarem o Esperanto, que é neutro e não dá vantagens indevidas ao povo de qualquer outra nação. Já na Hungria, os vestibulandos podem escolher Esperanto como prova de língua "estrangeira".

O Brasil não ficou de fora; está prestes a aprovar uma lei que tornaria facultativo o ensino do Esperanto nas escolas, algo super positivo para as crianças, já que estudos científicos pelo mundo demonstraram que o Esperanto estimula o raciocínio lógico em seus alunos, diminuindo o número de anos que levam para aprender outras línguas e aumentando as notas em todas as matérias escolares das crianças que participaram nos estudos. Suas notas aumentaram em até 40% nas provas de matemática.

Para aprender um pouco dessa língua fascinante, basta enviar um email para Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

1º Seminário de Esperanto em Pernambuco

  • PDF


O 1º Seminário de Esperanto em Pernambuco, ocorreu no dia 28 de Julho de 2012 em Recife. Destaca-se, nesse evento, o fato de toda a programação ter sido falada e discutida exclusivamente em Esperanto. É o primeiro evento dessa natureza (e desse porte) promovido pela APE (Associação Pernambucana de Esperanto) em décadas.

Confira as fotos do evento no site http://www.esperanto-pe.org

A Associação Pernambucana de Esperanto(em esperanto, Pernambuka Esperanto-Asocio), é a associação esperantista oficial do estado de Pernambuco, sendo também um clube esperantista da cidade do Recife. É reconhecida de utilidade pública pelas leis Estadual nº 1744, de 19 de novembro de 1953 e Municipal nº 2619, de 23 de novembro de 1953.

O Endereço da APE é Ed. Brasília, sl. 905, R. Siqueira Campos, 279, C. Postal 1139 - CEP 50001-970 - Recife - PE

BEL Informas 2013

  • PDF

Fique por dentro de tudo o que acontece sobre o esperanto no Brasil.
Notícias, informações de encontros, dicas de aprendizado, vídeos, músicas e livros.
Tudo em esperanto e com tradução em português.
Leia e assine gratuitamente o boletim semanal "BEL informas"

 

Boletim bilíngue da Liga Brasileira de Esperanto.
Dulingva Bulteno de Brazila Esperanto-Ligo.

FOTO Email

FOTO impressora

 

HEJMO20072008200920102013

Revista Brazila Esperantisto

  • PDF

A Liga Brasileira de Esperanto acaba de lançar o número 344 da Revista Brazila Esperantisto, com novo Redator Francisco Weschler.

Agora está disponível em nosso site, versão completa em PDF para toda comunidade esperantista.

Aproveitamos para convidar aqueles que ainda não são membros da Liga a se associarem, contribuindo assim para os Novos Tempos do movimento esperantista. Para se associar basta clicar AQUI.

 

DOWNLOAD

Governo brasileiro recebe reivindicação de esperantistas

  • PDF

Carta Aberta

À Excelentíssima Senhora Presidenta da República Dilma Rousseff

Aos Excelentíssimos Senhores Ministros de Estado da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho; da Educação, Aluízio Mercadante; e das Relações Exteriores, Antônio Patriota

Senhora Presidenta,

Senhores Ministros,

 

Considerando que existe uma Língua Internacional, o Esperanto, planejada há 125 anos e com falantes hoje em mais de 120 países, 70 dos quais, a exemplo do Brasil, com entidades nacionais filiadas à Universala Esperanto-Asocio – UEA (entidade mundial do movimento esperantista ligada à Unesco e sediada em Rotterdam, Holanda);

Considerando que o Brasil é signatário de duas Resoluções da Unesco (Conferências Gerais de Montevidéu/Uruguai, 1954, e de Sófia/Bulgária, 1985 - v. Anexos), ambas formuladas para reconhecer a importância do Esperanto na comunicação verbal direta entre os povos e para conclamar os Países-Membros a iniciarem processos de introdução do Esperanto em seus sistemas de ensino;

Considerando que, após mais de meio século, quase nada foi feito pelos governos dos Países-Membros da Unesco no sentido de produzir fundamentos para a inserção do Esperanto, o que tem transformado os esperantistas em mais uma minoria internacional marginalizada e o seu incansável voluntariado em desperdício de esforços;

Considerando que a opção dos sistemas educacionais pelo ensino de língua(s) estrangeira(s), além de solução ineficaz (já que não prescinde das onerosas vias do poliglotismo e das traduções), tem servido muito pouco à Cidadania, operando sobretudo em favor da causa hegemônica de alguns povos, indevidamente às custas dos cofres públicos e/ou do bolso do cidadão indefeso;

Considerando, finalmente, que milhões de esperantistas, milhões de apoiadores intelectuais, milhares de organismos e instituições simpatizantes da língua internacional, tudo isso, sem a participação de um conjunto de governos, reduz-se a quase nada, não passa de uma chama de esperança de que algum dia, com apenas dois idiomas, um ser humano possa falar ao mundo;

Leia mais...

Pagina 1 de 23

Em defesa das línguas minoritárias.

Congressos Internacionais anualmente.

A língua do presente e do futuro.

Um projeto de sucesso.