Biblioteko

 

 

Um projeto que deu certo BEL-Konferenco 52-a BRAZILA KONGRESO DE ESPERANTO

Um projeto que deu certo

Conheça o que é o Esperanto

Hoje em dia, é língua viva de uma comunidade transnacional que o pratica no dia a dia, principalmente na internet, de forma cultural e intelectual.
Leia mais

BEL-Konferenco

2016

BEL-Konferenco 2016 okazos en la urbo Petropolis/RJ, en la 25-a kaj 26-a de marto 2016.
Legu plu

52-a BRAZILA KONGRESO DE ESPERANTO

37-a BRAZILA ESPERANTISTA JUNULARA KONGRESO

Sorriso, 15 a 18 de junho de 2017
Visite a página do BKE

O que é o Esperanto?

O Esperanto é uma língua internacional planejada que foi lançada em 1887 com objetivo de facilitar a comunicação entre os povos de diferentes países e culturas.

O autor do Esperanto foi o médico polonês Lázaro Luís Zamenhof (1859-1917) que o lançou com o pseudônimo "Dr. Esperanto" que significa nesse idioma "aquele que tem esperança" em um livro denominado "Unua Libro de la Lingvo Internacia". Portanto, o nome original do Esperanto é "Lingvo Internacia", que melhor se traduz por "língua para ser internacional".

A língua Esperanto é consideravelmente mais fácil de ser aprendida do que as línguas nacionais, uma vez que o Esperanto foi planejado para ser mais simples e mais regular. Diferentemente dos demais idiomas, ao se falar em Esperanto, estabelece-se imediatamente uma comunicação de igual para igual entre pessoas de línguas diferentes. Isso é importante, pois se evita a vantagem cultural que um falante nativo teria ao empregar sua língua natal em um contato internacional.

A proposta do Esperanto não é a de substituir qualquer outra língua nacional, mas complementá-las, sendo assim utilizado como uma língua neutra quando falado com alguém que não tenha a mesma língua do interlocutor.

O uso do Esperanto também protege as línguas minoritárias. Essas línguas culturais teriam melhor chance de sobrevivência em um mundo dominado por poucas línguas poderosas.

Presentemente, o Esperanto é falado por uma grande comunidade internacional, em mais de 120 paises. Estima-se que seus falantes estejam na ordem de milhões.

O tema Esperanto ja esteve diversas vezes na ordem do dia da Unesco, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura. Desde 1954 a Associação Universal de Esperanto mantém relações consultivas oficiais com a Unesco, enviando-lhe relatórios regularmente e incentivando seus membros e associações a colaborarem ativamente com aquela Organização para efetivarem seus objetivos comuns.

Em duas ocasiões a Conferência Geral da Unesco, que se reúne a cada dois anos, aprovou uma resolução especial dedicada ao Esperanto. A resolução da Quarta Conferência Geral (Montevidéu 1954) foi resultado de uma campanha coordenada pela UEA, principalmente por seu diretor Ivo Lapenna. A resolução do ano do Centenário, aprovada pela Vigésima-Terceira Conferência Geral (Sófia 1985) foi fruto da colaboração por três décadas e de bons contatos com algumas delegações nacionais. Juntas, as duas Resoluções consistem o mais claro reconhecimento do valor do Esperanto feito por uma importante organização internacional.

 

Efeito Propedêutico

Aprender o Esperanto causa um efeito pedagógico facilitador, pois aumenta a rapidez de aprendizado em pelo menos 20%. Isso foi provado pela Universidade de Paderborn, na Alemanha.

A Unesco e o Esperanto

A Unesco já reconheceu publicamente o Esperanto por duas vezes e recomenda aos seus estados membros o ensino generalizado do Idioma.